Viajar sozinho pode ser uma experiência que vai mudar a sua vida, você não depende de ninguém, faz o que quer, quando quiser e como quiser.

Você escolhe seus lugares para visitar, come o que quer, enfim, é dono de suas escolhas.

Mas, em se tratando de uma viagem internacional, nos acostumamos a ter sempre ao nosso lado alguma pessoa, ou um grupo de pessoas para compartilhar as aventuras, os micos, as alegrias, as imagens enfim, é tudo de bom compartilhar esses momentos que são únicos.

Mas eles precisam ser únicos, não é verdade?

É preciso lembrar, você já sabe que é fundamental escolher com quem viajar, ainda mais se for sua única companhia.

Acaso sua companhia não tiver nada a ver com você, com seus gostos, seus sonhos de viagem, isso pode ser negativo.

Pense se não está se sentindo inseguro, se se sentirá livre e se sua companhia vai lhe agregar, se te complementa.

É melhor estar só do que mal acompanhado, essa frase certamente você já conhece.

Garanta que você será a melhor companhia para o outro, se prepare para isso, e se puder, escolha pessoas que se adaptem ao seu perfil.

Conversem muito antes, planejem os detalhes, conversem sobre os horários, os lugares a visitar, os meios de transporte e claro, o que vão dividir durante a viagem.

Sinta se durante o planejamento há mais concordâncias do que discordâncias e, se já estão se divertindo.

Elimine as surpresas ao máximo, imprevistos acontecem, mas, tentem minimizar com antecedência o que puderem.

Afinal, é sua viagem internacional e precisa ser única e marcante.

E realizar um intercâmbio em casal, é possível?

Sim, é muito possível.

Aliás, é uma oportunidade de ouro de vivenciar coisas diferentes e dar um up na relação.

Além disso, há muitas vantagens nessa aventura muito comum, inclusive. E claro, mais barato.

Muitas comunidades no exterior oferecem quartos para casais, com alimentação e hospedagem 100% gratuita, e ainda, é possível conseguir ajuda de custo para cada pessoa.

Os benefícios são vários, podemos citar o currículo de ambos que é turbinado, o idioma, a experiência internacional e claro, a melhora do vínculo afetivo.

Essa é uma oportunidade para curtir algo extraordinário com a pessoa que ama, sem custos de permanência no exterior, e ainda, evitando o distanciamento acaso apenas um do casal partisse sozinho para o exterior.

No exterior, ambos se encorajam, se motivam, dão forças um ao outro, fora o tempo adicional para se dedicar um ao outro.

Há mais proximidade, estão sempre unidos frente aos desafios, aprendem juntos, se relacionam com outras pessoas e fazem novos amigos para a vida.

No fim das contas, uma companhia em todos os momentos de seu intercâmbio é positivo e você pode tirar suas conclusões.

E agora, vai sozinho ou acompanhado?


Leave a Reply

Your email address will not be published.

*

code